Nota do Pastor

Como a notícia já consta em todo o lado, passo a tornar pública esta Nota que, assim, faço conhecida e acessível a todos os membros da nossa Igreja de Viseu.
Amo muito a Igreja de Jesus Cristo. Nela nasci, nela estou integrado e dela sou parte. Sirvo-a, em Viseu. Daqui, de Viseu, estou em comunhão com o Papa Francisco e, nele, com todos os Bispos e com todos os Cristãos, meus irmãos e, ao mesmo tempo, estou corresponsável com a missão universal da Igreja – o anúncio de Jesus a todas as pessoas e em todas as situações.
Neste momento, ainda que, sem o merecer, sem ser digno e sem grandes qualidades e merecimentos humanos, intelectuais e espirituais que me ‘apresentassem’, sirvo esta Igreja, como Bispo, desde há 11 anos.
Devo tantas graças a Deus e aos meus irmãos: no Episcopado – lembro todos os membros da Conferência Episcopal – e no presbitério desta mesma Igreja de Viseu! Estes – uns e outros – ajudaram-me nas minhas dificuldades e foram, sempre, muito compreensivos nas minhas falhas… Devo tanto, também, a todas e a todos: família, religiosos e outros consagrados, diáconos e leigos desta Diocese… A todos procurei servir como pude; a todos peço compreensão pelo que não fui capaz de ser e de fazer… Por todos rezo e ofereço a minha vida…
Enquanto Deus o quiser, vou continuar a servir e a amar, dedicando as minhas capacidades e forças, a esta mesma Igreja e, nela, a todos os meus amados irmãos.
Ser Bispo, numa Diocese, é grande missão e grande responsabilidade. Precisa-se sabedoria, saúde, prudência e capacidade para gerir toda a vida, em comunhão e em corresponsabilidade com os Sacerdotes, com os Religiosos, com os Diáconos e com os Leigos, propondo, a todos, a participação em que cada um se sinta bem, como cristão e como membro da Igreja e sinta ser mais-valia, dando contributo válido a todos.
Sinto que, desde há 7 anos – mas, sobretudo, desde há 3 anos – não estou capaz de dar o contributo que o Bispo deve dar… Porque sou um de entre todos vós – sou padre da diocese de Viseu – tenho mais dificuldades em “esconder” todos os meus problemas que dificultam o serviço – alegre, agradecido e capaz – que vós me pedis e com o qual tendes todo o direito de contar.
Assim, pedi há 3 anos e renovei há alguns meses que o Santo Padre, o Papa Francisco, me dispensasse do serviço de Bispo diocesano. Há poucos dias, o Santo Padre aceitou e mandou iniciar o Processo para a minha substituição.
Agradeço muito ao Santo Padre Francisco, por Quem rezo e vivo em comunhão. Agradeço muito a todos os Padres, Religiosos, Diáconos e Leigos, da Diocese de Viseu. Agradeço muito à minha Família e a todas as pessoas que, porventura, estejam surpreendidas ou, até mesmo, não concordantes com esta decisão.
Quero afirmar que, do nosso próximo Bispo desta nossa Diocese de Viseu, serei um irmão e amigo, obediente e seguidor. Para a maior glória de Deus e para bem da Igreja! AMEN!
VISEU, 25 de Setembro de 2017
Bispo Ilídio Pinto Leandro

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s